Instituto Mundo Fisio

Informações

Amamentar é a garantia da nutrição completa para o recém nascido, porque a composição do leite é ideal em termos de quantidade e qualidade de nutrientes.

Não existe mulher com o leite ruim ou leite fraco. Toda mãe produz o leite ideal para o seu filho. Mas é fundamental que a mãe se preocupe com o que come durante o período de aleitamento, principalmente para manter a produção do leite e também para que não haja nenhum desconforto ao bebê, uma vez que tudo que a mãe consome irá compor o leite materno e pode ocasionar sintomas indesejáveis no bebê, dependendo da sensibilidade individual.

A princípio, não há alimento proibido para a nutriz - nome dado à mãe que amamenta. Se houver alguma reação negativa do bebê em aleitamento materno exclusivo, aí, sim, pode-se suspeitar de sensibilidade ou alergia alimentar a alguma substância que a mulher tenha ingerido.

Os campeões nesse processo são: leite de vaca, castanhas (como o amendoim), frutos do mar e carne de porco. Antes de pensar em eliminar os itens do cardápio, é preciso que o médico constate a ligação entre eles e as cólicas do bebê ou qualquer outro sintoma indesejável.

O álcool deve ser evitado. A substância pode dificultar a absorção de nutrientes pela mãe, além de ser absorvido pela criança através do leite materno. Já fontes de cafeína precisam ser consumidas com moderação e respeitando a sensibilidade e tolerância da mãe e do bebê.

Alimentos que produzem muitos gases, como grãos, crucíferas (couve flor, brócolis, repolho) devem ser consumidos também com muita moderação e devem ser retirados caso o bebê apresente cólicas. A mãe também deve ter muito cuidado com relação a segurança da higiene alimentar de todos alimentos que consomem, pois nesta fase o que pode representar um perigo a ela pode replicar numa intensidade muito maior ao seu bebê.

 

Fonte: Equilibrio Nutricional